Veterinário é pioneiro em fabricar próteses e cadeira de rodas para cães e gatos

Veterinário é pioneiro em fabricar próteses e cadeira de rodas para cães e gatos

PARA SUA INFORMAÇÃO – “Veterinário é pioneiro em fabricar próteses e cadeira de rodas para cães e gatos.”

O Veterinário também tem uma grande preocupação com a questão dos “pombos”.

Eduardo Ribeiro Filetti, médico veterinário nascido em Santos (litoral de SP), formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1987, e pós-graduado em Saúde Pública, é pioneiro em fabricar próteses exclusivas para cães e gatos, além de cadeira de rodas para este segmento.

Este projeto surgiu em 1987, em conjunto com o Departamento de Engenharia da Unisanta, onde foi desenvolvida a cadeira de rodas para cães e gatos.

Para o Dr. Filetti que cuida de animais há mais de 20 anos, este equipamento é de extrema necessidade quando o animal sofre um acidente devido a um atropelamento, quando o  animal sofre de problemas osteoarticulares e quando graves podem ficar sem os movimentos dos membros e por aí vai.

Quanto às próteses exclusivas (tanto a cadeira de rodas como as próteses, são de fabricação própria), são fabricadas de acordo com o problema e a necessidade do animal. A sua confecção é sobre medida e assim fica justa e correta na hora do seu implante.

Estes dois itens são feitos em sua clínica na Baixada Santista, em Santos, que é considerada uma das mais modernas da região.

Além disso, Filetti tem um trabalho muito grande na questão dos “pombos”. O veterinário tem acompanhado de perto estas aves e mostra grande preocupação com o seu exagerado crescimento. Como não temos predadores na região, comida em abundância (pessoas que alimentam estas aves) a tendência é que elas continuem crescendo.

Filetti é contra qualquer maldade contra estas aves , que inclusive são protegidas por lei federal.O grupo de estudos coordenados pelo pesquisador sugere o controle ecológico através de anticoncepcionais.

O médico veterinário pesquisou sobre as doenças e não encontrou grandes problemas nas fezes dos animais. Em sua pesquisa, as fezes eram recolhidas de madrugada e colocadas em sacos plásticos (2mx 3metros) no chão com alimentos. Como as pombas que tem o hábito de defecar após se alimentarem, nos forneciam material para estudo.

O maior problema reside nas fezes secas dos pombos que podemos encontrar facilmente em telhados , abrigos e galpões. Estas fezes possuem fungos e bactérias capazes de causarem perigosas doenças respiratórias nos seres humanos. Sempre quando vamos limpar locais como estes mencionados devemos molhar bem para amolecer estas fezes (ressecadas) e evitar a migração de microorganismos.Ë importante o uso de máscaras e óculos de trabalho para evitar contaminações

Conheça um pouco mais o trabalho deste veterinário via seu site www.filetti.com.br

ASSESSORIA DE IMPRENSA – R T COMUNICAÇÕES
RUTH TEIXEIRA
TEL. 11 9236 4890
13 9142 4501
E-mail ruthteixeira@uol.com.br

2018-06-05T16:37:10+00:00