DR. FILETTI NOSSO VOTO DE LOUVOR UMA DAS VEREADORAS MAIS VOTADAS DE SÃO PAULO ENTREVISTA O NOSSO ARTICULISTA

DR. FILETTI NOSSO VOTO DE LOUVOR UMA DAS VEREADORAS MAIS VOTADAS DE SÃO PAULO ENTREVISTA O NOSSO ARTICULISTA

De: Filetti
Enviada em: segunda-feira, 16 de agosto de 2010 Assunto: ENC: DR. FILETTI NOSSO VOTO DE LOUVOR,,,,,UMA DAS VEREADORAS MAIS VOTADAS DE SAO PAULO ENTREVISTA O NOSSO ARTICULISTA PRECISO SABER O ENDEREÇO CORRETO PARA PEGAR O DVD CAOMINHADA E LEVAR O DVD DO TOP OF MIND  EDUARDO


De: hugo duppre
PARA:Filetti
Assunto: Res: DR. FILETTI NOSSO VOTO DE LOUVOR,,,,,UMA DAS VEREADORASMAISVOTADAS DE SAO PAULO ENTREVISTA O NOSSO ARTICULISTA Parabensssssss Filetti. Pela entrevista. E pelo trabalho que tem feito contato amor pelos animais. E essa nossa vereadora e lição de vida grande abrs


De: ONG AMIGOS DE SANTOS –
Para: FILETTI ONG
Assunto: DR. FILETTI NOSSO VOTO DE LOUVOR,,,,,UMA DAS VEREADORAS MAIS VOTADAS DE SAO PAULO ENTREVISTA O NOSSO ARTICULISTA   LOUVAMOS O BRILHANTE, QUERIDO, EFICIENTE, DINÂMICO, HUMANO E COMPETENTE MEDICO O DR. FILETTI E IREMOS DIVULGAR E REPASSAR ESTE E.MAIL A TODOS NOSSOS AMIGOS COM UM VOTO DE LOUVOR AO DR. FILETTI….atenciosamente,ONG DOS AMIGOS DE SANTOS João Cordeiro/Presidente  

De: Filetti
Para: ‘Publicidade’Assunto: UMA DAS VEREADORAS MAIS VOTADAS DE SAO PAULO ENTREVISTA O NOSSO ARTICULISTA ,MARA GABRILII VEREADORA DAS MAIS VOTADAS EM SÃO PAULO QUE TEM COMO BANDEIRA OS PORTADORES DE NESCESSIDADES ESPECIAIS ENTREVISTA O NOSSO COLUNISTA PARA O SEU PORTAL Dr. Eduardo Ribeiro Filetti  Participante de congressos e palestras por todo o Brasil e o mundo, esse veterinário especial já tratou gratuitamente mais de 4 mil animais em sua clínica, localizada na Baixada Santista. O Portal Mara Gabrilli conversoucom o Drº Filetti, que entre outras curiosidades, nos contou que até jacaré fraturado já passou por seu consultório. Confira esse bate-papo animal. Ele tem 5 cães, 3 gatos,  algumas  tartarugas e vários peixes. Por aí já dá para perceber o quanto ele gosta de bichos. Formado em Medicina Veterináriadesde 1986 pela Universidade Federal do Rio de Janeiro com especialização emclínica de animais de pequeno porte, Eduardo Filetti, autor dos livros Omundo fascinante dos felinos e Medicina Veterinária é responsável pelacriação de aparelhos úteis para animais com deficiência, como a cadeira derodas para cachorros.  


Portal Mara Gabrili: Quando  e como surgiu a ideia de fazer uma cadeira derodas para cachorros?


Drº Eduardo Filetti: Em medicina veterinária, assim como na humana, alguns animais sofrem de problemas osteomusculares e quando graves podem ficar semos movimentos dos membros posteriores. Sem contar os inúmeros casos deacidentes, como os atropelamentos. Pensando nisto, em 1987, em conjunto como Departamento de engenharia desenvolvemos a cadeira de rodas para facilitara vida dos queridos pets  


PMG: Há uma raça de cachorro específica acometida por deficiências?


Filetti: A raça de cachorro mais acometida por deficiências é o Dachshund[o popular salsicha] por ser um cão cumprido. Desde filhote avisamos que temos que dar uma ração bem balanceada e submeter o pet a exercícios moderados para não deixá-lo engordar.Damos também muito enfoque para cliente evitar escadas e brincadeiras de pular com esta raça para que nãohaja o desgaste exagerado dos discos intervertebrais.


PMG: Quais os tipos de deficiência que um animal pode ter? E quais são as causas?


Filetti: A maior parte das deficiências são problemas ocasionados poracidentes. Temos também os problemas genéticos e hereditários atacando nossos pets. Em algumas raças como os bassets, dashchund que são cumpridoshá muita propensão a ter problemas cervicais e lombares.


PMG: Que tipo de tratamento existe para cachorros que possuem uma deficiência? Há um tratamento específico para cada um?


Filetti: Geralmente tentamos tratá-los com muito carinho e amor. Após exames radiológicos, onde detectamos a patologia (problema cervical,espondiloartroses etc) escolhemos as diversas formas de tratamento que vãodesde aplicações de vitamina b12 com antiflamatórios, gelo, compressas, luz,massagens e até acupuntura. Se não tiver jeito (ex: fratura de coluna lombarcom ruptura de medula) indicamos a cadeira de rodas para aumentar a qualidade de vida do pet. Eles se adaptam muito bem e continuam sendo ativose felizes. Este é o maior pagamento que um médico pode receber…Ver um paciente curado ou recuperado.  


PMG: Qual a principal procura dos donos de animais na sua clínica?


Filetti: Graças a Deus temos bom movimento, estamos trabalhando há 23 anossem parar um dia. Inclusive em internações e na UTI. Somos muito procurados para tratamentos dermatológicos, cirurgias desde as mais comuns até ósseas e oculares. Fazemos cirurgia em animais com catarata.Temos hotelaria em local separado da nossa internação.  


PMG: Isso é um sinal que há muitos animais com deficiência… Há um estudo sobre isso aqui no Brasil?


Filetti: Tentei fazer um levantamento de quantos animais têm deficiência. Quando fizemos a
cadeira de rodas, não cheguei a números reais, mas posso garantir que existem vários casos no Brasil e no mundo. Já mandei cadeiras de rodas até para a Austrália, o dono me passava as medidas do pet pore-mail e fomos montando a cadeira.  


PMG: Por falar nisso, como é a acessibilidade em sua clínica?


Filetti: A acessibilidade da nossa clínica é boa temos piso adequado erampas para deficientes.Queremos tratar bem todas as pessoas.Todos somos filhos de Deus. 


PMG: E essa historia dos jacarés fraturados…Conta para gente como foi isso.


Filetti: Foi a coisa mais curiosa que aconteceu em minha clínica…Atendiesses jacarés do Parque da Anilinhas de Cubatão. E cuidar de um jacaré comfraturas não é fácil. Mas ele ficou bom…Tivemos que improvisar uma talaresistente à água para ele…  


PMG: Podemos considerar este fato o mais desafiador na sua carreira?


Filetti: No começo da minha trajetória profissional, atendi animais de um circo que pegou fogo. Fiquei uma semana dentro de minha empresa cuidando dos pets.  Não atendi a imprensa até estarem todos fora de perigo.Foi uma grande experiência para um início de carreira. A vida é um grande aprendizado eapesar de estar tratando de animais desde os meus 14 anos de idade, mantenhoo gosto do aprendizado constante. Acho que as pessoas devem escolher aprofissão por vocação, pois fica bem mais fácil.


De: Publicidade
Para: Filetti
Assunto: Re: ANIMAIS SILVETRES COMO CRIA-LOS CORRETAMENTE    BOA NOITE EDUARDO  FICO NO AGUARDO DA COLUNA PARA ESTE FIM DE SEMAN     ALEXANDRE 


Filetti
To: ‘Publicidade’
RES: ANIMAIS SILVETRES COMO CRIA-LOS CORRETAMENTE    SE ACHAR QUE ESTA BOM   TUDO CERTO   Obrigado(a),   EDUARDO FILETTI


De: Publicidade
Para: Filetti
Assunto: Re: ANIMAIS SILVETRES COMO CRIA-LOS CORRETAMENTE    BOM DIA EDUARDO, TUDO BEM?  ESTE É O ARTIGO PARA ESTE FIM DE SEMANA, OU O SR. MANDARÉ OUTRO?     OBRIGADO     ALEXANDRE

From: Filetti
Subject: ANIMAIS SILVETRES COMO CRIA-LOS CORRETAMENTE    

Os que gostam de ter um mascote diferente dos convencionais devem atentar àforma de compra do animal para não colaborar com crimes ambientais Uma cobra inofensiva criada em um aquário apropriado ou um belo papagaiolivre pela cãs. Para alguns, estas cenas podem parecer estranhas, mas paramuitos fascinados pela vida selvagem há o desejo de adotar em seus laresbichos que, normalmente, não são vistos em veterinários ou passeando pelaorla da praia. O problema é que estas espécies são alvos fáceis decontrabandistas, que privam os animais da convivência em seus meios naturaisem função de um comércio clandestino. É fato que o comércio ilegal de animais silvestres oferece um custo menorpara quem quer ter um animalzinho diferenciado, mas a forma como sãotrazidos de seus verdadeiros habitats para o meio urbano é agressiva e,acima de tudo, sem qualquer responsabilidade ou cobrança quanto à reposiçãoda espécie na natureza. Este tipo de tráfico é o terceiro maior negócioilícito praticado no mundo e no Brasil, anualmente, milhões de exemplares dafauna nacional são recolhidos por membros deste esquema para sustentar estetipo de corretagem. Mas existem formas legais de aquisição e criação de animais silvestres, semburocracia ou futuras dores de cabeça. Uma delas é tornando-se um “criadouroconservacionista”, título concedido pelo Instituto Brasileiro do MeioAmbiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para interessados emmontar criadouros e viveiros para estes bichinhos. Com este conceito, ocriadouro tem a incumbência de não somente comercializar e tratar de formaadequada e cumprir as normas nas instalações do estabelecimento, mas tambémdeve repor à natureza parte dos exemplares nascidos em seu cativeiro. A vantagem em optar por este tipo de compra é de que o mascote chegará àsmãos do dono com boa saúde e, futuramente, o animal não poderá serapreendido por falta de documentação. “Quem compra de um criadourocertificado pelo Ibama tem a certeza da procedência do animal e ainda recebetodos os documentos que permitem este procedimento, que é um registronumérico do animal e comprovantes de compra em estabelecimento autorizadopelo órgão responsável”, explica o ambientalista Nelson Rodrigues. Entre os bichinhos mais procurados estão aves como o papagaio, animalpopular por alegrar o ambiente doméstico com suas cores e pela verdadeirafalação que promove. Mas é necessária uma série de cuidados para que a vidadesta espécie não seja prejudicada, já que em meio à natureza é capaz deviver até 65 anos, média que cai para 35, em ambiente doméstico. “Um doscuidados que o dono deve ter é quanto à alimentação da ave, pois alimenta-lasomente com sementes de girassol pode desenvolver problemas de ordemdigestiva”, exemplifica a criadora e treinadora Valéria Tavares.. “Outro fator importante é permitir um banho-de-sol de 15 minutos todas asmanhãs e privar o viveiro ou gaiola de correntes de ar agressivas, chuva eodores muito fortes”, acrescenta a criadora. Legislação Comprar e vender animais silvestres, no Brasil é crime, de acordo com a Lei9.605/98, conhecida como Lei dos Crimes Ambientais. O Artigo 29 rege quequem mata, persegue, caça, vende, expõe à venda, guarda, tem em um cativeiroou apanha espécies da fauna silvestre, sem permissão, licença ou autorizaçãodo órgão competente (Ibama) está sujeito a detenção de seis meses a um ano,mais multa a partir de R$ 500 por animal apreendido.

2018-07-19T09:04:50+00:00